Saturday, April 15, 2017

MUNHAC : Exposição Reis da Europa Selvagem, nossos últimos carnívoros






Exposição Reis da Europa Selvagem
MUNHAC

A exposição está patente desde o dia 2 de Março 2017 e pretende dar a conhecer quatro grandes carnívoros europeus: o urso, o glutão, o lince e o lobo
De realçar o lince Ibérico, o felino mais ameaçado do mundo, e o lobo Ibérico cujas populações estão em perigo de extinção.


Lobo Ibérico
créditos: © Taiga nature & photo

Os carnívoros europeus são retratados nos seus habitats naturais, com o ambiente, alguma fauna e vegetação reproduzidos em detalhes realistas. 

Há vídeos e imagens projectadas e até um módulo de realidade aumentada, onde se pode "tocar" num urso. 

Há também dois modelos tridimensionais a representar os 'habitats' do lobo e do lince ibéricos, que existem em Portugal, mas que continuam em perigo.

A nova exposição Reis da Europa Selvagem inaugurada no Museu Nacional de História e da Ciência (MUHNAC), em Lisboa, desvenda a realidade de quatro grandes carnívoros do Velho Continente - o urso, o lince, o lobo e o glutão -, as ameaças que enfrentam e os esforços que estão a ser feitos para a sua conservação.

Ao longo de seis módulos, esta emblemática exposição permite contemplar exemplares naturalizados que estarão "imersos num cenário expositivo de imagens, sons e novas tecnologias que conduzem o público a uma viagem pelas áreas geográficas onde vivem estes animais e conhecer os seus habitats, biologia, organização social, hábitos alimentares, ameaças e projectos que promovem a sua conservação."





Lince--euro-asiático 
créditos: © H. Andrén

A exposição inicia-se com pegadas em painéis com os nomes científicos dos animais, não porque os carnívoros sejam assassinados e só possamos ver os seus rastos, mas porque as pegadas são uma forma de conhecer os seis protagonistas.

"Tudo está baseado nos mais recentes dados científicos sobre estas espécies", explica Cristiane Bastos-Silveira, curadora da colecção de mamíferos do MUHNAC e coorganizadora da exposição, com Francisco Petrucci-Fonseca, presidente do Grupo Lobo.

Tudo começou, aliás, por causa do lobo. No âmbito do projecto europeu Life Med-Wolf, o Grupo Lobo quis montar uma mostra para desfazer mitos e dar a conhecer ao grande público esta espécie ameaçada e mal compreendida. 

"Foi então que tivemos a ideia de alargar o âmbito da exposição e incluir outros três grandes carnívoros da Europa"

Cristiane Bastos-Silveira




Glutão/ Wolwerine
créditos: © A.Landa

Módulo a módulo, estas emblemáticas espécies vão-se revelando ao longo de três grandes salas do museu destinadas para esta exposição.

Para cada carnívoro há um BI com as principais características, o território que cada um ocupa na geografia europeia, número de animais que existem e os conflitos que se geram com as populações humanas.

Os lobos, por exemplo, são particularmente mal vistos por agricultores e pastores. 

Já os ursos e os glutões são mais vulneráveis à caça ilegal, enquanto os linces - o Europeu e o Ibérico, porque são duas espécies diferentes - estão sujeitos a envenenamentos intencionais e a atropelamentos. Há muitas estradas a cruzar os seus amplos territórios. 




Urso
créditos: © B.Kristiansson

Na exposição, há mapas com a distribuição das espécies nos vários países, fotografias e um espaço de reflexão com imagens “mais sensíveis”, como atropelamentos. 

No final da primeira sala, há painéis sobre as ameaças que estes carnívoros correm. E como podemos fazer alguma coisa? “Exercendo a cidadania”, diz Francisco Fonseca.

Factos, números e imagens mostram toda essa realidade, também através de vídeos que estão em exibição permanente.

Os esforços de conservação e os seus resultados, um módulo da realidade aumentada para entrar no mundo de um urso, e um cantinho infantil onde há livros com histórias e bonecos sobre as quatro espécies completam a mostra.

É na última parte da exposição que tudo se torna interactivo. Há pegadas coloridas no chão para seguir o rasto dos carnívoros. 




The wolverine, Gulo gulo is the largest land-dwelling species of the family Mustelidae (weasels)

Ah, falta o glutão: esse só vive na Escandinávia e é mais conhecido por wolverine. Os glutões que se assemelham a pequenos ursos-pardos com cauda, encontram-se nos países nórdicos, sendo o seu pelo cobiçado para o fabrico de casacos.

Mesmo à saída, para a qual se caminha seguindo rastos de pegadas de ursos e linces, glutões e lobos semeadas pelo chão, há uma colecção de provérbios europeus, e livros dedicados a estes animais que revelam o que eles são no imaginário colectivo europeu.

No final, é de observar as paredes. Têm nomes comuns das espécies em várias línguas e expressões populares que todos já ouvimos.

Algumas agora depreciativas, como “lobo em pele de cordeiro”. “Não queremos apagar estas histórias, mas queremos construir outras”, diz a curadora. 

Francisco Fonseca já ouviu histórias sobre uma boa coexistência entre lobos e humanos. Para os lados de Bragança, alguém lhe terá dito: “O lobo é o pastor do pastor. O lobo obriga o pastor a tomar cuidados e não deixa fugir o gado.” 

Quem quiser uma recordação vai poder tirar uma selfie num cenário virtual com os ursos da Cantábria, em Espanha. 

O cenário virtual irá mudar e serão incluídos outros animais naturalizados, tudo até Dezembro de 2019, ano em que terminará esta exposição.

Curiosidades:

Sabiam que o lobo é muito mais familiar do que imaginamos? Muitos de nós temos descendentes seus em nossas casas: os cães.
A domesticação decorreu ao longo de milhares de anos, culminando, após a selecção levada a cabo pelo Homem, nas mais de 350 raças caninas que hoje são reconhecidas. 
Talvez os lobos que deram origem a todos os nossos cães tenham sido adoptados como guardas; ou talvez tenham sido eles a adoptar os humanos, acompanhando-os em busca de alguns restos de comida. Certo é que um predador desde sempre temido e acossado acabou por dar origem ao nosso melhor amigo.  
Informações úteis:

Datas: 2 de Março 2017 a 31 Dezembro 2019.

Preços: Bilhete de família, 12,5€. 
Não vimos informações para visitas de escolas.




Kings of Wild Europe - our last large carnivores


This exhibition intends to give insight on the four European carnivores - bear, wolverine, lynx and wolf



Kings of Wild Europe - our last large carnivores
credits: © iStockphoto

It focuses on the Iberian lynx - the most threatened feline in the world and the Iberian wolf whose populations are highly threatened. 

If you teach in Lisbon or in Portugal you have may want organize a visit with your students.

If you are visiting Lisbon with your children, don't miss this exhibition at the Museum of Natural History and Science.

Information:

Dates: since 2 March 2017 until 31 December 2019.

Price: Ticket family 12,5€. 


Geração 'green' 

15.04.2017

Creative Commons License


Thursday, April 13, 2017

Geração Verde : Apresentação projecto





Poster

No dia 22 de Abril celebrou-se o Dia Verde 2008. O dia 22 de Junho é denominado Dia do Planeta ou Earth Day.

O projecto Os Torrinhas Verdes, hoje Geração Verdenasceu da proposta da Professora Gina Souto aos seus alunos, aprendizes ambientalistas para participar nas actividades de Earth Day 2008.

Um projecto que teve a sua origem nos Estados-Unidos e que junta, neste momento, cerca de oitocentos e cinquenta e oito mil participantes de vários países a nível mundial.

Os Green Torrinhas estão inscritos desde 14 de Janeiro de 2008. São alunos das Turmas G|H|I do 5º Ano da Escola Francisco Torrinha (Portugal) que desenvolvem actividades curriculares e extracurriculares de intervenção ambientalista na comunidade escolar, nos curriculos Língua PortuguesaCidadania, dois vastos campos abertos à intervenção e à criatividade.

As suas convicções ambientalistas começaram com a participação no Ano Polar Internacional 2007-2008.






ICT & curricula

Os Torrinhas Verdes | Geração Verde adquiriram assim competências no domínio das TIC incluídas nos currículos de Língua Portuguesa, Cidadania, adquirindo aprendizagens em tempo curricular e extra-curricular.

O blogue Geração Verde foi criado por um grupo voluntário de alunas e alunos que, coordenado pela Professora Gina Soutose reúne em horas extracurriculares, como actividade de enriquecimento curricular.

Nas aulas, todos os alunos se dedicaram a Actividades que foram desenvolvidas até ao dia 22 Abril - Dia Verde 2008

Entre outros projectos, organizaram um Jornal de Parede nos placares de salas das respectivas turmas que foi sendo actualizado semanalmente por grupos alternados de alunos, devidamente escalonados.

Durante a semana de 17 de Abril a 21 de Abril festejaram então a Semana Verde em toda a comunidade escolar que culminou nos dias 20-21 de Abril com o Dia Verde 2008.



This blog Geração Verde (Green Generation) is a students' project in collaboration with the Teacher Gina Soutoo as a tutor and e-tutor in extra activities in Languages curriculuminspired by Earth Day 2008. This blog published by a group of young environmentalists students who participated in Earth Day activities from 2008 to 2010.

Geração Verde blog created in Languages cross-curricular - Portuguese mother language and French foreign language - was published by young students of a secondary school in Porto, Portugal, as a participation at Earth Day activities for some years (2007-2010). 

"Earth Day Network is a global leader in promoting environmental education and green schools. Our award-winning Educator's Network provides resources for teachers educating for a sustainable future"



Now, only a small group of students and  me, as e-tutor, continue this project Geração Verde (Green Generation) and Geração Polar (Polar Generation).

Geração Polar blog (Polar Generation) was developed as a pedagogical extra-curriculum activity in Languages and Civics curriculum, created as a participation at the International Polar Year 2007-2008 (IPY). 

Students are publishing stories, some news, events, photos and videos concerning "Environmental Education" and me as e-tutor, when we have some free time. 

I don't teach face-to-face anymore at school neither the students are studying at the same school. They grew up. They are in College now.

Together in collaboration, we meet on the internet, and continue both blogs Green Generation and Polar Generation by pleasure as young environmentalists.


A Professora | The Coordinator

G-Souto

27.03.2008

Creative Commons License

Actualizado em 15.04.2017
Updated April 15,2017


Saturday, March 25, 2017

Hora do Planeta : #ChangeClimateChange !






Hora do Planeta


A Hora do Planeta 2017 é já hoje, dia 25 de Março, entre as 20:30 e as 21:30, hora local. Esta é uma iniciativa ambiental global promovida pela WWF

Cidadãos, empresas, governos e comunidades são convidados a desligarem as luzes durante uma hora para mostrarem o seu apoio a uma actuação mais sustentável.

É uma das primeiras iniciativas promovidas para sensibilizar a sociedade para a questão das alterações climáticas, a Hora do Planeta cresceu de um evento simbólico numa única cidade Sidney, Austrália, em Março de 2007 para o maior movimento mundial em defesa do ambiente.





Hora do Planeta 
créditos: Marta Barata/ WWF Portugal


Em 2016, a Hora do Planeta chegou a mais de 9.000 cidades e vilas em 178 países e territórios. 

Em Portugal, foram 110 os municípios a aderir à iniciativa e centenas de monumentos emblemáticos nacionais ficaram de luzes desligadas: Ponte 25 de Abril, Mosteiro dos Jerónimos, Castelo de S. Jorge, Cristo Rei, Palácio Nacional da Pena, Palácio de Monserrate ou Convento de Cristo.






Além do “apagão” nos monumentos históricos, todos nós podemos aderir à iniciativa. Basta desligarmos as luzes nas nossas casas durante uma hora, lembra o portal Protege o que é bom.

A Hora do Planeta começou a ser celebrada em Portugal em 2008, com a adesão de 11 municípios. Em 2016, um terço das autarquias nacionais participaram na iniciativa e diversos municípios, além de desligarem as luzes dos seus monumentos, promoveram diversas iniciativas locais de sensibilização. 

Também nós participámos! Na escola com actividades, e em casa, com a família. 




Hora do Planeta
Concerto à Luz das Velas
Lisboa

Em Lisboa, por exemplo, este ano, a Hora do Planeta vai ser celebrada com um Concerto à luz das velas, no Parque Eduardo VII. Os bilhetes têm um custo de 10 euros.

Não esqueçam! Podem enviar as vossas fotos para o site oficial Earth Hour 2017 ou para Hora do Planeta Portugal.

E também iluminar a vossa imagem de perfil do Facebook com um novo filtro #EarthHour e juntar-se a pessoas de todo o mundo para ajudar a iluminar a ação climática - basta deslocar-se para o post fixado e clicar em "try it.

Nota: Atenção à vossa idade! Sempre + 13 anos.

Usem a hashtag #ChangeClimateChange! A vossa foto será publicada no Facebook oficial de Earth Hour 2017.




Earth Hour

Today, Saturday 25 March, at 8:30PM (local time), lights will switch off around the globe for Earth Hour and people will commit to actions that go beyond the hour.

The simple idea of switching off lights for an hour to drive action on climate change began in Sydney, Australia in 2007 and now all seven continents are celebrating Earth Hour.






In 2016 178 countries and more than 9 000 cities switched off lights. The most charismatic monuments of the world switched off lights too.

In 2017 WWF waits for more! The simple idea of switching off lights for an hour to drive action on climate change began in Sydney, Australia as we wrote and now all seven continents are celebrating Earth Hour for the 10th year.

Today we are 11,988,651 people for all over the world. Wow! 

Light up your Facebook profile picture with a new #EarthHour filter, and join people across the world to help shine light on climate action - simply scroll down to the pinned post and hit "try it"


Geração 'green'

25.03.2017

Creative Commons License

Tuesday, March 21, 2017

Dia Internacional das Florestas : Florestas & Energia







Celebra-se hoje o Dia Internacional das Florestas, nas formas como a floresta e as árvores nos sustentam e protegem. 

Dia Internacional das Florestas pretende alertar a população mundial para a importância das florestas para as pessoas e sociedades, nas vertentes ecológica, económica e social.

Comemora-se a 21 de Março de cada ano, sendo celebrado em Portugal de forma ininterrupta desde 1970. 

Teve já várias designações (Dia da Árvore, Dia Mundial das Florestas), tendo a sua forma actual (dia internacional) sido instituída pela Assembleia Geral das Nações Unidas por Resolução de 21 de Dezembro de 2012.






Este ano, o tema 2017 é "Florestas e Energia." Este ano, o tema 2017 é chamar a atenção para o papel fundamental das florestas no abastecimento do nosso planeta com água doce, que é essencial à vida.


papel central das florestas no abastecimento energético das sociedades actuais e futuras é o tema lançado em 2017 no âmbito das comemorações do Dia Internacional das Florestas.
A nível mundial, a Floresta é responsável pela produção de 40% da energia renovável, tanto quanto as fontes solar, eólica e hídrica juntas. 

Quase 900 milhões de pessoas trabalham no sector do aproveitamento da biomassa florestal para produção de energia, sobretudo nos países em vias de desenvolvimento.




A importância desta função da Floresta para a vida das pessoas é enorme, não só na vertente tradicional (principal fonte de lenhas e de outro tipo de biomassa desde os primórdios da Humanidade), como também numa vertente mais recente, como é o caso da "produção de biocombustíveis que possam substituir progressivamente o consumo de hidrocarbonetos, contribuindo para a mitigação das alterações climáticas e para a segurança energética dos países."
Nos países desenvolvidos, a produção de biomassa florestal para energia é um dos principais factores de valorização dos recursos florestais, promovendo o desenvolvimento rural em regiões mais desfavorecidas. 

Mesmo nas zonas urbanas, as árvores e Florestas desempenham igualmente um papel relevante na poupança de energia, atenuando os fenómenos climáticos extremos e aumentando o conforto térmico dos edifícios e dos espaços públicos.





Também em Portugal, a energia constitui uma das maiores riquezas obtidas a partir das nossas florestas.

A "biomassa florestal é uma das principais fontes de energia hoje utilizadas em Portugal" e é, de entre as fontes de energia renovável, a mais facilmente utilizável em qualquer período do ano.



Como podes celebrar o dia?

  • Organiza ou junta-te a eventos que celebram as florests – pantar árvores, conferências, exposições de arte ou concursos de fotografia;
  • Não esqueças de informar a FAO about it at IDF@fao.org e envia as fotografias à FAO para que possam adicioná-los à galeria de eventos que têm lugar por todo o mundo;
  • Junta-te às notícias, conversas, comentários nas redes sociais usando a hashtag #IntlForestDay: lê algumas das key messages deste ano, ou tira uma fotografia da tua floresta preferida e partilha-a com os teus amigos.







The Day celebrates and raises awareness of the importance of all types of forests. On each International Day of Forests, countries are encouraged to undertake local, national and international efforts to organize activities involving forests and trees, such as tree planting campaigns. 

The theme for each International Day of Forests is chosen by the Collaborative Partnership on Forests





http://www.fao.org/international-day-of-forests/events/rome-event/en/


The theme for 2017 is "Forests and Energy."

Forests cover one third of the Earth's land mass, performing vital functions around the world. Around 1.6 billion people - including more than 2,000 indigenous cultures - depend on forests for their livelihoods, medicines, fuel, food and shelter.

Forests are the most biologically-diverse ecosystems on land, home to more than 80% of the terrestrial species of animals, plants and insects.


Damar Forests of Indonesia
credits: UN
Yet despite all of these priceless ecological, economic, social and health benefits, global deforestation continues at an alarming rate - 13 million hectares of forest are destroyed annually. Deforestation accounts for 12 to 20 percent of the global greenhouse gas emissions that contribute to climate change.
The International Day of Forests is held annually on 21 March to raise awareness of the importance of forests to people and their vital role in poverty eradication, environmental sustainability and food security. Sustainable management of all types of forests are at the heart of unlocking challenges of conflict-affected, developing and developed countries, for the benefit of current and future generations.


How will you mark the day?

  • Watch the recorded webcast from the event Rome in English, French and Spanish;
  • Organize or join events celebrating forests – tree plantings, symposiums, art exhibitions, or a photo competition; 
  • Don’t forget to tell FAO about it at IDF@fao.org and send FAO photos so they can add it to the gallery of events happening around the world;
  • Join the conversation on social media using the #IntlForestDay hashtag: pass on some of this year's key messages, or take a photo of your favourite forest and share it with your friends.

Join students of the world celebrating the International Day of Forests!


Geração 'green'

21.03.2017

Creative Commons License


References:

ICNF/ FAO/ UN