Thursday, April 21, 2016

Dia da Terra 2016 : Vamos lá participar !






Google Doodle Earth Day 2016
Grasslands and Elephant
Doodler: Sophie Diao




Google Doodle Earth Day 2016
Forest and Red Fox
Doodler: Sophie Diao



Google Doodle Earth Day 2016
Aquatic/Ocean, Coral Reef and Octopus
Doodler: Sophie Diao



Google Doodle Earth Day 2016
Desert and Tortoise
Doodler: Sophie Diao

E chegamos a mais um Dia da Terra. A 22 de Abril celebra-se o Dia Mundial da Terra.

E Google, como sempre, não deixaria de celebrar o Dia Internacional da Terra. Mais uma vez nos surpreende com o Google Doodle que destaca os cinco principais biomas da Terra: tundra, florestas, pastagens, deserto, e recifes de corais. O Doodle Tundra e Urso Polar foi publicado no nosso blog Geração Polar
A data foi criada em 1970, pelo senador norte-americano Gaylord Nelson que deu voz  deu voz ao movimento de protesto ambiental  que surgiu para criar consciência sobre os problemas ambientais provocados pelo homem, como a contaminação da água e do ar, a sobre-exploração de recursos e a geração de resíduos. 

Mais de 20 milhões de pessoas manifestaram-se a favor da preservação da terra e do ambiente.


Hoje, 46 anos depois de Dia da Terrao movimento continua a inspirar uma sociedade cada vez mais consciente para esta causa, motivando à acção dos cidadãos a nível mundial.




Geração Verde nasceu no Dia da Terra 2008. O blog fazia parte das nossas actividades de participação deste evento excepcional à escala mundial. Fomos talvez a primeira escola portuguesa a participar.

O nosso blog Geração Polar foi criado mais cedo, embora só começasse a participar no Dia da Terra em 2013
Dia da Terra foi criado em 1970, quando milhões de norte-americanos foram às ruas para espalhar uma mensagem de conscientização ambiental.

Desde então, todos os anos, no dia 22 de Abril, milhões de cidadãos em todo o mundo manifestam o seu compromisso na preservação do ambiente e da sustentabilidade da Terra. 

 foi reconhecido pela ONU em 2009 que instituiu o referido dia como o Dia Internacional da Terra.

O tema 2016, intitulada #ÁrvorespelaTerra, centra-se no desafio de 7,8 mil milhões de árvores até 2020, ano em que se celebrarão os 50 anos de nascimento do movimento. 



credits: Elyx YaK

Os obectivos do  desafio #ÁrvoresparaaTerra são:
  • Mitigar a alteração climática e a contaminação, porque as árvores absorvem os excesso de CO2 e outros gases que contaminam a atmosfera e destroem a camada do ozono.
  • Proteger a biodiversidade,  porque com a plantação de árvores  originais de cada região diminui a perda de espécies.
  • Apoiar as comunidades e os seus meios de vida, porque  plantar árvores ajuda as comunidades a alcançar a sustentabilidade económica e ambiental a longo prazo e proporciona alimentos e benefícios sociais, melhorando a qualidade do nosso ambiente.





Earth Day 2016

April 22, 2016! Earth Day’s 46th anniversary of a movement that continues to inspire, challenge ideas, ignite passion, and motivate people to action.

And Earth Day is a special day for schools! All over the world, teachers and students involve on awesome activities and projects to commit to actions that go beyond the planet.




Earth Day 2016's theme is #TresForTheEarth.

According to the Earth Day Network, the planet is losing 15 billion trees each year. Their goal is to therefore plant 7.8 billion trees by Earth Day 2020 – one for every person on the planet.

Trees reverse the impacts of land degradation. They provide food, energy, and income. 

Trees help communities achieve long-term economic and environmental sustainability. They filter the air and help stave off the effects of climate change both globally and locally. 

Oh! We are online volunteers at WWF. And we know that WWF and Apple are together for Apps for Earth.

WFFTogether is the app we like and share with our friends and readers. It has cool features. And we are helping





screenshot: WWFTogether





screenshot: WWFTogether


But we are online volunteers at WWF. And we know that WWF and Apple are together for Apps for Earth.

WFFTogether is the app we like and share with our friends and readers. It has cool features. And we are helping.

Through this initiative, 100% of proceeds collected from participating apps through downloads and in-app purchases will be donated to the WWF, which supports nature conservation efforts around the globe. The promotion will run through April 24, two days after Earth Day 2016. 

Don't forget to help! 

Of course, we can't forget to plant trees. We are very good on that in Portugal.


Let's get planting! Plant a tree! Activate your friends and social networks.

We can do this. #trees4earth

Geração 'green'


21.04.2016

Creative Commons License

Thursday, April 07, 2016

Tartarugas voltam a casa, apesar da distância !






credits: Dr Takahiro Shimada/JCU

Um estudo publicado no dia 31 Março na na Austrália revelava que as tartarugas são capazes de nadar mais de cem quilómetros depois de terem permanecido em cativeiro durante mais de um ano, com o objectivo de 'voltar a casa'.
“Perdemos contacto com os aparelhos de rastreio colocados em duas delas, mas à excepção de uma, todas regressaram a casa.”

Takashiro Shimada, biólogo, autor estudo

O biólogo marinho da Universidade James Cook e autor do estudo seguiu 59 tartarugas.




Dr. Takashiro Shimada, cientista
credits: Dr Takahiro Shimada/JCU
A investigação revelou que a maioria das tartarugas que passaram algum tempo em cativeiro – curtos períodos ou mais de 500 dias sob cuidados, devido a lesões – encontrou o caminho de regresso ao local onde haviam sido encontradas, segundo um comunicado da Universidade James Cook.
Além das longas distâncias percorridas – uma nadou 117 quilómetros –, os cientistas observaram que as tartarugas nadaram até poucos metros do ponto em que foram encontradas.
Os investigadores acreditam que as tartarugas nadam, tendo como orientação uma combinação de 'chaves geomagnéticas' e outros processos que ainda não são completamente compreendidos.



credits: Dr Takahiro Shimada/JCU
Os cientistas também colocaram 54 tartarugas directamente no ponto em que foram encontradas, para depois testar se permaneciam nesse lugar, apesar de não terem conseguido decifrar as causas na origem desse padrão, refere a mesma nota.
“O senso comum sugere que tal sucede porque as tartarugas estão familiarizadas com as fontes de comida e albergue e sabem onde podem estar os seus predadores.”

Takashiro Shimada


credits: Dr Takahiro Shimada/JCU)
While it has long been known female marine turtles return to their birthplace to nest, Queensland researchers have recently discovered the whole family of turtles is able to find its way home after being displaced.
A James Cook University study has found turtles released back into the wild almost always return home – even if they have to swim more than 100km or have spent more than a year away.

Lead author, Dr Takahiro Shimada said the JCU team tracked 59 turtles released outside of the areas where they had been found along the Queensland coast.

“We lost communication with the tracking devices on two of them, but all except one of the rest returned home,” he said.


Dr Takahiro Shimada/JCU)
credits: James Cook University
While most of the turtles travelled to their old homes after a short time in captivity, one of the returning turtles had been held for more than 500 days while it recovered from injury. Another was released more than 117 km from where it was originally found and successfully made the journey back.

“It was surprising, we weren’t quite sure if they would make it back over that distance or after that amount of time.” 

Dr Shimada


credits: Dr Takahiro Shimada/JCU

He said researchers were also surprised with the precision of the turtles’ navigation – with most eventually ending up within a few hundred metres of their home. 
(...)

The scientists say the finding has important implications for turtle conservation, with long-term resettlement of turtles away from dangerous or damaged environments not a realistic option. Read more here 

Geração 'green'

07.04.2016

Creative Commons License

References:

Credits All the photographies  are of Dr Takahiro Shimada / JCU scientist.

fonte: Observador | Ciência

Sunday, April 03, 2016

Livros e Natureza : vamos ler ?





Blackbird Baza


Já que ontem, dia 2 Abril celebramos o Dia Internacional do Livro Infantil, lembramos deixar aqui duas sugestões de livros para crianças ligadas à natureza.

Aliás, já aqui neste blogue escrevemos sobre o Dia da Poesia e da Árvore, lembram?

Sugestões de livros ligados à natureza:



O Meu Livro da Cortiça/ My Cork Book
Danuta Wojciechowska
ilustração: Joana Paz
Edição Lupa Design
http://www.fnac.pt/

Um livro bilingue (Português-Inglês) que explora o universo da cortiça com muita criatividade. 
As autoras estimulam o interesse dos mais jovens (e não só...) para um produto tão importante para Portugal com um texto bem informativo. Como sabemos, Portugal é o maior produtor mundial de cortiça.
Sinopse:
"O meu livro da cortiça / My cork book" explora o fascinante universo da cortiça e de tudo o que a rodeia, uma matéria única no mundo, da qual Portugal é o principal produtor."
Neste livro podem encontrar-se muitos factos e histórias, desde os mais científicos aos mais lúdicos. 
É através de jogos e desafios que se dá a conhecer este património, um exemplo de sustentabilidade, que vai do sobreiro ao montado e assegura uma grande diversidade de actividades económicas que incluem, entre outras, a transformação e utilização da cortiça. 


"Propõe-se que, com estes estímulos, a criança construa as suas próprias narrativas, desenvolvendo a criatividade e a imaginação."
Escrito em duas línguas, português e inglês, o livro pretende ser um instrumento educativo que desperte a curiosidade da criança, através do desenho e da escrita. 
Sendo uma publicação bilingue, permite uma divulgação e compreensão do valor da cortiça a nível nacional e internacional.


O Meu Livro da Cortiça/ My Cork Book
Danuta Wojciechowska
ilustração: Joana Paz
Edição Lupa Design/ apresentaçao

Depois de um pequeno teste diagnóstico de escolha múltipla aos pequenos leitores sobre o que sabem da cortiça, revela-se então o aspecto da cortiça num microscópio: 
“(…) Poderás ver que tem uma estrutura parecida com os favos de mel de uma colmeia. É esta particularidade que a torna um material único e muito especial.”
Ao longo do livro, os leitores ficarão a saber como é o sobreiro, como dele se extrai a cortiça, a conhecer outras espécies da floresta mediterrânica, por exemplo oo que é o montado, bem como as várias utilizações da cortiça: das rolhas aos objectos tradicionais e ainda como isolante térmico e acústico. 
Tudo com sugestões de actividades de escrita e desenho. No final, há um conto de Joaninha DuarteA Sobreira Grande.
Línguas: Português/ Inglês




My Cork Book/ O Meu Livro da Cortiça
Danuta Wojciechowska
ilustração: Joana Paz
Edição Lupa Design/ apresentaçao

My Cork Book is a bilingual book (Portuguese-English) that explores the world of cork with creativity.

In a text with enough information, the authors stimulate the interest of children (and adults too) for a very important product of Portugal, the cork. Portugal is its largest producer.

After a small multiple-choice test to understand what readers know about cork, we can see the appearance of this material under a microscope, "(...) You can see that cork has a similar structure to the honeycombs of a beehive. It's this feature that makes it a unique and very special material. "


Along the book, readers will know how the cork oak is, how it is extracted the cork. Readers will be informed about other speci of the Mediterranean forest, for example what is a 'montado' (small hill) and the different uses of cork: from the cork stopper to traditional objects- The cork is also a good thermic and acoustic insulation. 

My Cork Book includes writing and drawing activities suggestions. In the end, there is a little tale by Joaninha Duarte, "A Sobreira Grande" (The Great Cork Oak).

Languages: English;Portuguese


Respira
Texto e ilustração: Inês Castel-Branco
Edição: Fragmenta, 2015

Inspirar e expirar é muito mais do que um simples gesto que leva ao rocesso de circulação do ar. Muitas vezes, não sabemos como respirar bem. E este livro será bem útil. Portanto, história é para miúdos e graúdos.


Respira
Texto e ilustração: Inês Castel-Branco
Edição: Fragmenta, 2015
Sinopse:
Respira é um diálogo entre um menino e a sua mãe na hora de dormir. Mas este diálogo poderá acontecer a qualquer hora do dia e em qualquer lugar. O livros apresenta de facto uma compilação de exercícios ilustrados que podem ajudar os mais pequenos e graúdos a tomar consciência da sua respiração.
— Mamã, hoje não consigo dormir!

— Porquê?

— Não sei... sinto-me nervoso e a minha cabeça não deixa de pensar, pensar e pensar...
— Queres que te ensine a respirar?
— R E S P I R A R ? Eu já sei respirar!
— Mas já paraste alguma vez a ver como o fazes? Por onde entra e sai o ar, se enches mais a barriga ou o peito, se o fazes devagarinho ou com pressa...

Respira, Inês Castel-Branco (excerto)



Respira
Texto e ilustração: Inês Castel-Branco
Edição: Fragmenta, 2015

Então a mãe ensina-o a respirar. Coloca-lhe um barquinho de papel sobre a barriga, e pede-lhe que se imagine uma onda do mar.
É deste modo que a mãe o leva a exercitar a respiração abdominal, prática que se vai perdendo à medida que crescemos. A não quem pratica yoga :-)


Seguem-se outros exercícios, com pretextos e imagens que a criança (e adulto) facilmente aderem: “encher balões”, “cheirar as rosas” ou até sentir-se como uma “árvore que cresce”. Tudo caminhos para que nos liguemos ao corpo e ao mundo, explorando a nossa interioridade e abrindo-nos à transcendência.
E nada melhor do que respirar ao ar livre, num jardim, parque ou floresta bem perto de nós.
Respira é o segundo livro da colecção Pequena Fragmenta, lançada em português, espanhol e catalão. 
Línguas : Português; Castelhano, Catalão.


Respira
Texto e ilustraciones: Inês Castel-Branco 
Fragmenta Editorial, 2015

Respira es un diálogo en libro entre un niño y su madre a la hora de ir a la cama. Pero este diálogo podría suceder a cualquier hora del día y en cualquier lugar. Porque, en realidad, lo que presenta este libro es una recopilación de ejercicios ilustrados que pueden ayudar a los más pequeños a tomar conciencia de su respiración.

Respira
Texto e ilustraciones: Inês Castel-Branco 
Fragmenta Editorial, 2015
http://www.fragmenta.cat/
—Mamá, ¡hoy no puedo dormir!

—¿Por qué?

—No lo sé... Estoy nervioso y mi cabeza no para de pensar, de pensar y pensar...
—¿Quieres que te enseñe a respirar?
—¿ R E S P I R A R ? ¡Si yo ya sé respirar!
—¿Pero te has parado alguna vez a ver cómo lo haces? Por dónde entra y sale el aire, si llenas más la barriga o el pecho, si lo haces poco a poco o con prisas...

Respira, Inês Castel-Branco (extracto del libro)



Respira
Texto e ilustraciones: Inês Castel-Branco 
Fragmenta Editorial, 2015

El libro tiene otros ejercicios, con pretextos y las imágenes que el niño (y adultos) se adhieren fácilmente a "llenar globos", "oler las rosas" o incluso se sientir como un "árbol que crece." Todas las vías para que nos llaman en el cuerpo y el mundo, la exploración de nuestra interioridad y abrirse a la trascendencia.



Y nada mejor que respirar el aire libre, en un jardín, parque o bosque cercano a nosotros.

Respirar es el segundo libro de la colección Pequeño Fragmenta lanzado en portugués, español y catalán.

Idiomas: Portugués; Español, Catalán.

Yesterday, the 2 April, we celebrated the International Children's Book Day. So it's seemed interesting to write about children's books about Nature. In 2013, we wrote on World Poetry Day and Intl Forests Day.

Hope you like our bilingual books suggestions on nature.

Geração 'green'

03.04.2016

Creative Commons License