Wednesday, May 21, 2014

Google homenageia a paleontóloga Mary Anning



Mary Anning Google Doodle

Google não pára de homenagear mlheres nos diversos ramos da ciência. Depois de Dorothy Hodgkin, Gaetana Agnesi e hoje, Mary Anning.

Mary Anning é celebrada com um Google Doodle. A paleontóloga britânica é conhecida por ter descoberto o primeiro fóssil de ictiossauro. Descobriu ainda outros répteis marinhos, que jazem para a eternidade no Museu de História Natural de Londres

O Doodle retrata a sua grande descoberta: o primeiro fóssil de ictiossauro.

Anning nasceu em 21 Maio 1799, em Lyme Regis, Reino Unido. Foi aos 12 anos de idade que descobriu o fóssil de ictiossauro na costa de Dorset, incrustado em um íngreme penhasco, o primeiro fóssil conhecido, que media cinco metros de comprimento.




Mary Anning 1799-1847

Mary Anning é considerada a maior especialista na área da paleontologia. Conquista este epíteto, graças a uma série notável de descobertas permanceram para além do seu tempo e que viverão para além do nosso.

Mas se o fóssil que ninguém vira, e tornou célebre, é uma espécie de símbolo da sua obra, outras descobertas têm o seu nome associado a elas.

Destacam-se os répteis marinhos antigos – como o plesiossauro, um dos primeiros fósseis de pterodáctilo e o primeiro esqueleto de ptrosauro encontrado fora da Alemanha – alguns dos quais em exposição, actualmente, no Museu de História Natural de Londres.




Fóssil descoberto por Mary Anning

A jovem Mary Anning vendia as suas descobertas aos turistas, mas guardava muitas outras, e tornando-se assim numa das grandes coleccionadoras de fósseis marinhos do Jurássico. 

Mary Anning, curiosamente nunca descobriu nenhum dinossauro, e quase perdeu a vida, nesta sua paixão, quando foi arrastada pelo mar. Conseguiu sobreviver, ao contrário do seu cão Tray.

O seu trabalho contribuiu para mudanças fundamentais no pensamento científico sobre a história da Terra. 

Mais do que encontrar fósseis, Mary Anning inspirou a ciência e a sua obra mudou o pensamento científico sobre a Pré-História.

Grande parte da vida de Anning foi dedicada à sua paixão. Construiu um espólio assinalável, mas que nunca foi reunido no mesmo espaço.

O seu estatuto social impediu que Mary integrasse a comunidade científica do seu tempo, fechada às classes mais ricas e poderosas. Lamentável.

A jovem era pobre e só muitos anos mais tarde viria a ser reconhecida no círculo geológico da Grã-Bretanha, Europa e América. 

“O mundo usou-me maliciosamente”

Mary Anning

Charles Dickens, em 1865, escreveu que Mary Anning era “a filha do carpinteiro que “conquistou um nome por seu mérito e mereceu conquistá-lo”.

A paleontóloga morreu a 9 de Março 1847. 

Em 2010, o seu nome foi colocado, pela Royal Society, na lista de 10 mulheres de todo o mundo que mais influenciaram a história da ciência. 




Mary Anning | Natural History Museum

Today, Google Doodle celebrates the paleontologist Mary Anning on the 215th anniversary of the famous British fossil finder’s birth. 

She discovered the first ichthyosaur skeleton at the age of 12, as well as the first two plesiosaur skeletons ever found. Read more here





Hoje, o Google Doodle celebra-a, relembrando-nos assim que a educação e investigação deverão ser áreas abertas a todas as mulheres, pelo seu mérito, independentemente do seu estatuto social.

Geração 'green'

21.04.2014

Creative Commons License

No comments: