Thursday, May 22, 2014

Dia Internacional da Biodiversidade




Hoje, dia 22 Maio celebra-se o Dia Internacional da Biodiversidade proclamado pelas Nações Unidas com o objectivo de aumentar o grau de consciencialização e conhecimentos acerca da biodiversidade.
Celebra-se anualmente a 22 de Maio desde 2000. O Dia Internacional da Biodiversidade foi instituído pelas Nações Unidas para celebrar a Biodiversidade do planeta Terra e para incentivar à sua conservação.
Inicialmente, esta efeméride era comemorada a 29 Dezembro (data da entrada em vigor da Convenção da Diversidade Biológica). 
Devido à proximidade das festas de natal e de fim de ano, a data da celebração foi alterada, sete anos mais tarde, para 22 de Maio, dia do aniversário da aprovação do texto da Convenção sobre a Diversidade Biológica, que teve lugar em 1992
A Biodiversidade é uma das propriedades fundamentais da natureza, responsável pelo equilíbrio e estabilidade dos ecossistemas.

Este ano, o tema é a Biodiversidade Insular, no âmbito da Década das Nações Unidas sobre Biodiversidade.

O tema Biodiversidade Insular foi escolhido para coincidir com a designação atribuída a 2014 pela Assembleia Geral das Nações Unidas como o Ano Internacional dos Países em Desenvolvimento em Ilhas Pequenas

As ilhas e as suas áreas marinhas circundantes constituem ecossistemas únicos que possuem frequentemente muitas espécies endémicas de plantas e animais – espécies que não podem ser encontradas em nenhum outro lugar da Terra. 



Esses ecossistemas constituem um legado único da história evolucionária e são tesouros insubstituíveis, constituindo ainda a base da subsistência, da economia, do bem-estar e da identidade cultural de 600 milhões de ilhéus – um décimo da população mundial.


Reserva Natural das Berlengas
foto: autor não identificado

Este ano, o tema Biodiversidade Insular, Portugal elegeu o território da Reserva Natural das Berlengas como sítio das comemorações oficiais. Contudo as condições climatéricas adversas já anunciadas não irão permitir levar a cabo os eventos programados para este dia 22 de maio, sendo obrigados a adiar para o dia 5 de junho, Dia Mundial do Ambiente.




The United Nations has proclaimed May 22 The International Day for Biological Diversity (IDB) to increase understanding and awareness of biodiversity issues. 

When first created by the Second Committee of the UN General Assembly in late 1993, 29 December (the date of entry into force of the Convention of Biological Diversity), was designated The International Day for Biological Diversity. In December 2000, the UN General Assembly adopted 22 May as IDB, to commemorate the adoption of the text of the Convention on 22 May 1992 by the Nairobi Final Act of the Conference for the Adoption of the Agreed Text of the Convention on Biological Diversity. 

This was partly done because it was difficult for many countries to plan and carry out suitable celebrations for the date of 29 December, given the number of holidays that coincide around that time of year.



The theme Island Biodiversity was chosen to coincide with the designation by the United Nations General Assembly of 2014 as the International Year of Small Island Developing States

The International Year of Small Island Developing States will celebrate the contributions that this group of countries has made to the world. Small island developing states are home to vibrant and distinct cultures, diversity and heritage. Read more here

Considerando a grande importância da biodiversidade, é imperativo perservá-la cada vez mais.

Feliz Dia da Biodiversidade !
Happy International Day for Biological Diversity !

Geração 'green'

22.05.2014

Creative Commons License

Wednesday, May 21, 2014

Google homenageia a paleontóloga Mary Anning



Mary Anning Google Doodle

Google não pára de homenagear mlheres nos diversos ramos da ciência. Depois de Dorothy Hodgkin, Gaetana Agnesi e hoje, Mary Anning.

Mary Anning é celebrada com um Google Doodle. A paleontóloga britânica é conhecida por ter descoberto o primeiro fóssil de ictiossauro. Descobriu ainda outros répteis marinhos, que jazem para a eternidade no Museu de História Natural de Londres

O Doodle retrata a sua grande descoberta: o primeiro fóssil de ictiossauro.

Anning nasceu em 21 Maio 1799, em Lyme Regis, Reino Unido. Foi aos 12 anos de idade que descobriu o fóssil de ictiossauro na costa de Dorset, incrustado em um íngreme penhasco, o primeiro fóssil conhecido, que media cinco metros de comprimento.




Mary Anning 1799-1847

Mary Anning é considerada a maior especialista na área da paleontologia. Conquista este epíteto, graças a uma série notável de descobertas permanceram para além do seu tempo e que viverão para além do nosso.

Mas se o fóssil que ninguém vira, e tornou célebre, é uma espécie de símbolo da sua obra, outras descobertas têm o seu nome associado a elas.

Destacam-se os répteis marinhos antigos – como o plesiossauro, um dos primeiros fósseis de pterodáctilo e o primeiro esqueleto de ptrosauro encontrado fora da Alemanha – alguns dos quais em exposição, actualmente, no Museu de História Natural de Londres.




Fóssil descoberto por Mary Anning

A jovem Mary Anning vendia as suas descobertas aos turistas, mas guardava muitas outras, e tornando-se assim numa das grandes coleccionadoras de fósseis marinhos do Jurássico. 

Mary Anning, curiosamente nunca descobriu nenhum dinossauro, e quase perdeu a vida, nesta sua paixão, quando foi arrastada pelo mar. Conseguiu sobreviver, ao contrário do seu cão Tray.

O seu trabalho contribuiu para mudanças fundamentais no pensamento científico sobre a história da Terra. 

Mais do que encontrar fósseis, Mary Anning inspirou a ciência e a sua obra mudou o pensamento científico sobre a Pré-História.

Grande parte da vida de Anning foi dedicada à sua paixão. Construiu um espólio assinalável, mas que nunca foi reunido no mesmo espaço.

O seu estatuto social impediu que Mary integrasse a comunidade científica do seu tempo, fechada às classes mais ricas e poderosas. Lamentável.

A jovem era pobre e só muitos anos mais tarde viria a ser reconhecida no círculo geológico da Grã-Bretanha, Europa e América. 

“O mundo usou-me maliciosamente”

Mary Anning

Charles Dickens, em 1865, escreveu que Mary Anning era “a filha do carpinteiro que “conquistou um nome por seu mérito e mereceu conquistá-lo”.

A paleontóloga morreu a 9 de Março 1847. 

Em 2010, o seu nome foi colocado, pela Royal Society, na lista de 10 mulheres de todo o mundo que mais influenciaram a história da ciência. 




Mary Anning | Natural History Museum

Today, Google Doodle celebrates the paleontologist Mary Anning on the 215th anniversary of the famous British fossil finder’s birth. 

She discovered the first ichthyosaur skeleton at the age of 12, as well as the first two plesiosaur skeletons ever found. Read more here





Hoje, o Google Doodle celebra-a, relembrando-nos assim que a educação e investigação deverão ser áreas abertas a todas as mulheres, pelo seu mérito, independentemente do seu estatuto social.

Geração 'green'

21.04.2014

Creative Commons License

Sunday, May 18, 2014

Rãs dançantes descobertas na India



Foto: Satyabhama Das Biju/AP
Leram bem ! Rãs dançantes. Na India, cientistas descobriram 14 novas espécies de rãs nas florestas montanhosas do sul do país. 
De acordo com os biologistas indianos, estas novas espécies de anfíbios são rãs dançantes, e devem o seu nome aos movimentos estranhos que executam para atrair um parceiro.
Estas espécies procriam depois das monções do início do ano em pequenos cursos de água rápidos. Porém, o seu habitat está a tornar-se cada vez mais seco, muito em parte devido à desflorestação potenciada pelo crescimento da população indiana.


Foto: Satyabhama Das Biju/AP
O estudo, onde as novas espécies são listadas, publicado na revista científica do Ceilão, aumenta para 24 o número de espécies de rãs dançantes da Índia. 
Estas espécies são encontradas apenas nos Gates ocidentais da Índia, uma região montanhosa que se estende por 1.600 quilómetros desde o estado de Maharashtra até ao ponto mais a sul do país.
No entanto, apesar de acabarem de ter sido descobertas, estas novas espécies de rãs estão já em risco. 
Durante os 12 anos que os cientistas tentaram comprovar a sua existência, com marcadores de ADN e através de descrições morfológicas, o número de anfíbios diminuiu drasticamente. 


Foto: Satyabhama Das Biju/AP
O estudo, onde as novas espécies são listadas, publicado na revista científica do Ceilão, aumenta para 24 o número de espécies de rãs dançantes da Índia. 

As espécies são apenas encontradas nos Gates ocidentais da Índia, uma região montanhosa que se estende por 1.600 quilómetros desde o estado de Maharashtra até ao ponto mais a sul do país. .
Apenas os machos executam este ritual de acasalamento. Quanto maior for a rã macho mais dança. Os machos utilizam ainda as suas pernas extensivas para afastar outros machos concorrentes, já que o rácio dos anfíbios costuma ser de 100 machos para uma fêmea.
Estas rãs são de pequena proporção, não maiores do que uma noz e são facilmente transportadas por riachos de correntes rápidas. Assim, a época de acasalamento ocorre apenas quando o nível de água dos cursos é mais elevado. Se os cursos não transportarem água suficiente ou secarem demasiado cedo, as rãs não têm as condições ideais para acasalar.
A maior parte das 24 espécies de rãs dançantes habitam apenas uma pequena área. Segundo os cientistas, sete espécies habitam no que é descrito como habitat degradados e outras 12 vivem em locais que estão em declínio ecológico.


photo: Satyabhama Das Biju/AP
http://static.guim.co.uk/sys-http://static.guim.co.uk/
Scientists have discovered 14 new species of so-called dancing frogs in the jungle mountains of southern India.
Indian biologists say they found the tiny acrobatic amphibians, which earned their name with the unusual kicks they use to attract mates, declining dramatically in number during the 12 years in which they chronicled the species through morphological descriptions and molecular DNA markers. They breed after the yearly monsoon in fast-rushing streams, but their habitat appears to be becoming increasingly dry.
"It's like a Hollywood movie, both joyful and sad. On the one hand, we have brought these beautiful frogs into public knowledge. But about 80% are outside protected areas, and in some places, it was as if nature itself was crying," said the project's lead scientist, University of Delhi professor Sathyabhama Das Biju.
(...)
The study listing the new species published Thursday in the Ceylon Journal of Science brings the number of known Indian dancing frog species to 24. They're found exclusively in the Western Ghats, a lush mountain range that stretches 1,600 kilometers (990 miles) from the western state of Maharashtra down to the country's southern tip. Read more here
Geração 'green'
18.05.2014
Creative Commons License
Referências
Credits : photography Satyabhama Das Biju/AP
GreenSavers | Portufgal
The Guardian | Wildlife

Saturday, May 10, 2014

Dia Mundial Aves Migratórias




Dia Mundial das Aves Migratórias

Celebra-se este fim de semana, 10-11 Maio, o Dia Mundial das Aves Migratórias.

O Dia Mundial das Aves Migratórias (WMBD) foi iniciado em 2006. Trata-se de uma campanha anual de consciencialização que destaca a necessidade de proteger as aves migratórias e seus habitats. 

Desde então, todos os anos, no segundo fim de semana de Maio, as pessoas em todo o mundo actuam e organizam eventos públicos: festivais de aves, programas de educação e passeios de observação de aves para celebrar o Dia Mundial das Aves Migratórias.

As aves migratórias conectam todas as regiões e quase todos os ambientes do mundo ao longo de suas rotas de migração.

O WMBD é um evento global, pretende conectar o mundo e reunir organizações, governos e pessoas que se dediquem a proteger as aves migratórias para as gerações futuras.

Em Portugal também se celebra o Dia Mundial das Aves Migratórias com o apoio de EVOA Espaço de Visitação e Observação de Aves. A ver aqui

Há mesmo um espaço para Escolas (Professores; Alunos). Consultar aqui




Com o tema Destination Flyways: Migratory Birds and Tourism”, o projecto tem como objetivo mostrar o potencial para construir ligações entre a conservação das aves migratórias, o desenvolvimento da comunidade local e do turismo sustentável com base na observação da vida selvagem.

  • Registe o seu evento aqui

  • Participe no Concurso de Fotografia na conta Flickr do WMBD. o objectivo do concurso de fotografia é destacar as ligações entre as aves migratórias e o turismo, de modo a promover as melhores práticas e reduzir os impactos negativos .

É fácil ! Basta carregar as fotografias na conta Flickr WMBDDeixe a comunidade WMBD de todo o mundo ver o que faz para promover este dia tão especial.

O nosso blogue registou-se como actividade educativa de apoio ao #WMBD.




This weekend 10-11 May is World Migratory Bird Day! Join the global celebration of migratory birds by registering an event or activity.



WMBD


World Migratory Bird Day (WMBD) was initiated in 2006 and is an annual awareness-raising campaign highlighting the need for the protection of migratory birds and their habitats. 

On the second weekend each May, people around the world take action and organize public events such as bird festivals, education programmes and birdwatching excursions to celebrate WMBD.


With the theme Destination Flyways: Migratory Birds and Tourism, World Migratory Bird Day 2014 highlights the @UNWTO “Destination Flyways” project that aims to show the potential to build links between migratory bird conservation, local community development and sustainable tourism based on wildlife watching.



There is a Photo Competition to highlight the links between migratory birds and tourism with a view to promoting best practices and reducing the negative impacts.

Upload photos with our Flickr Email Uploader. Let the WMBD community all around the world see what you are doing for WMBD! 


Registering your WMBD activity you will reach a larger public and increase the impact of your support to migratory birds. 

Our blog is registered as a educational activity to support #WMBD.

Geração 'green'

10.05.2014

Creative Commons License

Tuesday, May 06, 2014

Ambiente: Jovens Portugueses com Ideias Criativas




Plásticos nos oceanos


Cinco estudantes da Universidade Nova de Lisboa estão a desenvolver um equipamento que, instalado em embarcações, filtra os microplásticos existentes nos oceanos, com o qual venceram um prémio de ideias de negócios e que pretendem comercializar.

O sistema, embutido no casco dos barcos, ao nível da linha de água, tem uma entrada de água que é filtrada, ficando os microplásticos retidos no filtro do equipamento, explicou à Lusa um dos representantes do projeto Clean Dynamics, Tiago Lamelas.

Segundo o responsável, após a filtragem a água passa por uma turbina, produzindo energia capaz de alimentar pequenos equipamentos, como sistemas de coordenadas geográficas ou de alarme.

Os microplásticos armazenados podem ser depois encaminhados para valorização energética ou reutilização como matéria-prima em indústrias.

A existência nos oceanos destes materiais, que resultam da degradação de objectos em plástico até uma proporção mínima, constitui um “perigo”, uma vez que são ingeridos pelos peixes, “que mais tarde vêm parar à nossa alimentação”, referiu Tiago Lamelas.

O equipamento, que deverá ter um preço entre 300 e 400 euros, pode ser adaptado e instalado em embarcações de diferentes tipos e tamanhos, desde pequenos veleiros a grandes petroleiros.

Os cinco estudantes, entre os 23 e os 27 anos, iniciaram o projecto no âmbito de uma disciplina de empreendedorismo, estando agora a desenvolver o protótipo.

Para montar o negócio estimam precisar de 200 mil euros, os quais esperam vir a conseguir junto de grandes empresas das áreas energética e de transporte marítimo.

Recentemente, venceram o 2ª edição do concurso de ideias criAtividade, na categoria “Mar e Energias”, promovido pelo Sines Tecnopolo, estrutura sediada em Sines que funciona como incubadora de empresas e presta serviços de consultadoria e formação.


Para a equipa, a estadia de uma semana na Energy Excelerator, incubadora de empresas do Havai (Estados Unidos da América), vai ser “muito importante”.

No mesmo concurso, venceu, na categoria “Criar Futuro(s)”, o projecto EcoInCer, dos empreendedores Erika e Filipe Davim, de Aveiro, que visa a transformação das escórias resultantes da incineração do lixo urbano em matéria-prima para as indústrias da cerâmica e do vidro.




A dupla ganhou o direito a passar uma semana numa incubadora da rede europeia de apoio a empresas (Entreprise Europe Network) e aponta a Itália como destino preferencial, por ser “o motor da cerâmica mundial”.

Já com um protótipo e patente internacional registada, Filipe e Erika Davim, 33 e 35 anos, respectivamente, precisam de 300 a 800 mil euros, dependendo das infraestruturas e dos equipamentos que tenham de adquirir, para montarem a sua empresa, que poderá vir a criar perto de 15 postos de trabalho.

A valorização das escórias representa uma diminuição dos resíduos enviados para aterro sanitário, que é o seu destino actual, indicou à Lusa Filipe Davim.

A função da EcoInCer é tratar esses resíduos e transformá-los em matéria-prima, feita “à medida” dos clientes, que substitui materiais como areia, barro ou sílica, reduzindo a utilização de produtos naturais, alguns dos quais “em crescente escassez”, com a consequente “escalada do preço”.

Numa primeira fase, tencionam dirigir-se às empresas portuguesas, estando já algumas a testar os produtos, mas ambicionam também sub-licenciar a patente noutros países com indústrias cerâmica e vidreira fortes e não põem de parte a exportação.
marítimo.


Five students from the Universidade Nova de Lisboa are developing an equipment that can be installed in vessels, to filter the existing micro-plastics in the oceans. They won a prize of business ideas and looking to commercialize their ideas.



They won a award at 2ª edição do concurso de ideias criAtividade on the category "Sea and Energy". The prize is a specialization of one week at Energy Excelerator, in Hawai (United States).

In the same competition, two other students from Aveiro (Portugal) Erika and Philip Davim won in the category "Create the Future(s) which aims the transformation of the cinders resulting from the incineration of the trash into raw materials for industries ceramic and glass.

Their prize is a specialization (one week) at one of the incubators of European business support network (Enterprise Europe Network). They point to Italy as a preferred destination because it is "the engine of the global ceramic".

É com orgulho que vemos jovens portugueses cheios de ideias a ser premiados, com mérito reconhecido na pesquisa de protecção do nosso planeta.

Geração 'green'

06.05.2014

Creative Commons License